Excursão de 12 dias a Marrocos: “Marrocos na íntegra”.

Dia 1: Casablanca – Rabat


Ao chegar ao aeroporto de Casablanca, nosso pessoal estará esperando por você no terminal. Um motorista de língua inglesa irá buscá-lo num veículo privado para iniciar, sem mais demoras, a exploração de Marrocos na sua totalidade.

A primeira parada será na própria Casablanca, a maior cidade do país. Especificamente, a Mesquita Hassan II, que é não só a mesquita mais alta de Marrocos, mas também de todo o mundo islâmico: o seu minarete tem cerca de 200 metros de altura. Mas esse não é o seu único interesse, longe disso: é uma das poucas mesquitas visitáveis no país, por isso vamos aproveitar a oportunidade para entrar e conhecer esse templo muçulmano, feito de materiais de alta qualidade, como mármores e granitos diferentes.

Depois de visitar esta jóia arquitetônica moderna, localizada em uma península artificial na costa de Casablanca, partiremos para o nosso próximo destino: Rabat. É a capital desde 1912 e é considerada uma das Cidades Imperiais de Marrocos, um nome que nos dá pistas sobre a monumentalidade de alguns dos seus edifícios. Por exemplo, a Torre Hassan, erguida no final do século XII. Nesse mesmo século, começou a construção do Kasbah dos Oudayas, um recinto murado inexpugnável do qual se poderá desfrutar de magníficas vistas panorâmicas da cidade, da sua costa e da vizinha Salé.

Você poderá descobrir tudo isso e muito mais no seu próprio ritmo, pois terá tempo livre para passar o resto do dia nesta cidade, distinguida como Patrimônio Mundial pela Unesco. Desta forma, você pode se perder na medina e seu souk, ou visitar outros lugares interessantes fora dela, como o Museu de Arte Contemporânea Mohamed VI, para citar alguns exemplos. E à noite, você vai descansar em um confortável riad no coração do centro da cidade.

Dia 2: Rabat – Chaouen

Depois do café da manhã no riad em Rabat, partiremos de manhã cedo em direção ao norte. O objectivo é chegar a Chaouen com tempo suficiente para visitar esta pequena cidade cheia de encanto. Chegaremos a ela após uma viagem de cerca de 4 horas por estrada, cujo último trecho atravessa as montanhas do Rif.

Entre dois deles está Chaouen, também chamado Chefchaouen ou El Aaiún. Sua medina, com ruas estreitas, íngremes e retorcidas, exala um encanto especial devido à cor azul claro usado para decorar as paredes. Tem também um interessante Kasbah, que hoje abriga um museu etnográfico, e pontos de vista estratégicos a partir dos quais se pode admirar o povoado e os seus arredores verdes.

É também uma cidade onde sobrevivem tradições e modos de vida antigos, bem como um artesanato muito rico, destacando as suas produções têxteis. Ao regressar das compras e passear pela medina, o seu riad estará por perto, pois estará localizado no centro histórico.

Dia 3: Chaouen – Volubilis – Meknes- Fez

No terceiro dia deste circuito, após o pequeno-almoço na riad, deixaremos as montanhas do Rif e rumaremos a sul para descobrir dois lugares tão diferentes como interessantes, o que nos ajudará a compreender a diversidade e a beleza de Marrocos como um todo. O primeiro leva-nos ao Império Romano. Especificamente para uma das suas cidades mais importantes no Norte de África, na província chamada Mauritânia Tingitana. Estamos falando de Volubilis, que atualmente é um sítio arqueológico de grande valor, pois preserva colunatas, mosaicos, arcos monumentais e outros elementos que nos permitem compreender a sua importância no passado. Por tudo isto, está listado como Património Mundial pela Unesco.

Mais tarde, passaremos a Meknes, outro dos sites reconhecidos pela Unesco. É também considerada uma das Cidades Imperiais de Marrocos porque foi designada capital no final do século XVII pelo Sultão Moulay Ismail. Durante a visita livre da sua medina histórica pode admirar o seu mausoléu, a parede e os seus portões monumentais, incluindo Bab Mansour.

Na última parte do dia chegaremos em Fez, com tempo para uma caminhada livre. Aqui você pode experimentar um primeiro contato com esta cidade com um passado rico, assim como fazer compras em suas lojas de artesanato, reconhecidas dentro e fora do país por sua qualidade. E para concluir o dia, você dormirá em um ambiente na medina que permitirá que você descanse para a visita guiada no dia seguinte.

Dia 4: Fez

Para conhecer em profundidade todos os segredos e atrações de Fez, é essencial ter as explicações e a ajuda de um guia local oficial. E é precisamente isso que fornecemos neste quarto dia da excursão. Após o café da manhã no riad, você o encontrará para um passeio em inglês pela grande medina da cidade, declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

O nosso guia organizará um passeio adaptado às suas preferências e capacidades, optimizando o seu tempo. Assim, alguns dos lugares possíveis a descobrir serão as famosas madrasas da cidade, tais como Bou Inania e Attarine. Ou a Mesquita de Karaouine, que abriga uma das universidades mais antigas do mundo. Ou a Praça Nejjarine, com a sua fonte do século XVIII com o mesmo nome. Outro dos lugares imperdíveis em Fez é o bairro dos curtidores, que ainda trabalha o couro como nos velhos tempos.

De qualquer forma, será difícil cobrir todos os pontos turísticos de Fez em uma única manhã, por isso a tarde livre pode ser dedicada a visitar o que resta para ser visto. As Portas de Ouro do Palácio Real ou do bairro judeu (Mellah) podem ser ideias interessantes para esta altura do dia, assim como a visita ao interior dos museus: Dar Bahta, Borj Nord, Nejjarine, etc. E depois de um dia de intensa visita turística em Fez, você voltará a descansar à noite, no mesmo riad no centro.

Dia 5: Fez – Ifrane – Monkey Forest – Erfoud – Deserto de Merzouga

O quinto dia deste circuito é um dos mais longos. Mas precisamente por este motivo, é também um dos mais atraentes para aqueles que pretendem descobrir Marrocos na sua totalidade. E vamos começar pouco depois de nos fazermos à estrada, depois do pequeno-almoço no riad em Fez.

A primeira parada será a pequena cidade de Ifrane, única não só neste circuito mas também no resto do país: está localizada a mais de 1.700 metros de altitude e, devido às numerosas precipitações que recebe (sob a forma de neve no inverno), seu ambiente é muito verde e seus telhados são ladeados. Não é por acaso, portanto, que é conhecida pelo nome de “a Suíça marroquina”.

Neste ambiente de montanha vamos descobrir outro lugar de grande interesse: o Parque Nacional Ifrane, também chamado de Floresta do Macaco. Recebe este nome porque nesta área natural protegida vive uma grande população de macacos bárbaros, os maiores de Marrocos. Outra atração deste parque é sua grande massa florestal verde, colorida por seus cedros. Estas árvores fornecem o habitat perfeito para a vida destes primatas, a única espécie que vive em liberdade ao norte do Saara.

Dia 6: Deserto de Merzouga – Khamlia – Pistas Paris-Dakar – Nómadas – Deserto de Merzouga

Uma das vantagens deste circuito é que o deserto de Merzouga não será um simples lugar de passagem. Pelo contrário: vamos dedicar todo o sexto dia a descobrir os seus recantos e tradições mais autênticos. Primeiro de tudo, a magia do nascer do sol sobre as dunas de Erg Chebbi, onde a aurora projeta luzes difíceis de encontrar em qualquer outra parte do mundo. Depois disso, o pequeno-almoço será servido e levaremos os camelos de volta para Merzouga. Além disso, você terá a possibilidade de tomar um banho, no acampamento ou em um hotel, de acordo com o pacote contratado.

Em primeiro lugar, vamos visitar Khamlia, que também é chamada a “aldeia dos negros”, porque essa é a cor predominante dos seus habitantes. A explicação reside séculos atrás, quando o tráfico de escravos trouxe à força pessoas da África Subsaariana. As pessoas que vamos encontrar nesta visita são, portanto, descendentes delas. E eles têm mantido a paixão e a sensibilidade pela música dos seus antepassados. Especificamente, o gênero gnawa, declarado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco. Assistiremos a uma apresentação na qual descobriremos seus ritmos de percussão e danças místicas tão característicos.

Com o som ainda nos nossos ouvidos vamos tomar o nosso 4×4 para atravessar uma das pistas mais espectaculares desta zona, habitual nas rotas do lendário rally Paris-Dakar. Envolvidos nesta aura de aventura, passaremos por outros lugares interessantes, como as minas de kohl, aldeias francesas e berberes abandonadas e uma elevação especial do terreno de onde se pode desfrutar de vistas panorâmicas deslumbrantes sobre as dunas de Erg Chebbi.

Além disso, para conhecer plenamente e em profundidade os habitantes desta região de Marrocos, teremos a oportunidade de visitar um povoado de pessoas semi-nómadas que continuam a manter usos e tradições de outrora. Eles nos falarão de sua experiência de viver no deserto e nos acolherão com hospitalidade durante nosso encontro. Depois disso, iremos para o hotel onde você vai jantar e passar a noite, localizado em outro canto sugestivo do deserto de Merzouga.

Dia 7: Deserto de Merzouga – Rissani – Gargantas de Todra – Vale do Dades – Ouarzazate

No sétimo dia deste circuito vamos dizer adeus ao deserto de Merzouga e às dunas de Erg Chebbi. Mas, após o pequeno-almoço no hotel, iremos para outras zonas únicas do deserto marroquino. A primeira parada deste dia de viagem será Rissani, uma pequena mas surpreendente cidade que abriga uma bela e histórica medina. Seu tradicional mercado cheio de produtos locais coloridos e seu pitoresco estacionamento de burros são cenas que demonstram o genuíno dia-a-dia que ainda se passa aqui.

Deixando Rissani para trás, viajaremos mais de 150 km para chegar às Gargantas de Todra: aqui, o pequeno rio do mesmo nome esculpiu um cânion rochoso de formas caprichosas e paredes altas, famoso entre escaladores de todo o mundo. Mas qualquer visitante pode admirar esta paisagem natural e caminhar pela garganta formada após milénios de erosão. Uma beleza que será até apreciável do nosso carro, pois a estrada forma curvas implausíveis ao passar por esta zona.

Uma beleza que será até apreciada a partir do nosso carro, pois a estrada forma curvas implausíveis ao passar por esta zona. O mesmo acontecerá no vizinho Vale das Rosas, onde a produção desta flor dá numerosos empregos ao seu povo e uma cor especial ao ambiente, especialmente na estação da primavera.

A cidade onde vamos terminar o dia será Ouarzazate. Muitos a conhecem como a Hollywood de Marrocos pelos seus prestigiados estúdios cinematográficos. Cenas de filmes como Lawrence da Arábia, Gladiador e muitos outros foram rodados aqui, como descobriremos se a expedição permite e os horários. Uma visita que está no programa é o Kasbah de Taourirt, na periferia da cidade: residência de Thami El Glaoui, Senhor do Atlas e Pasha de Marrakech, ainda conserva grande parte de sua decoração original, tanto por dentro como por fora. No final do dia, um hotel com todo o conforto servirá o jantar e lhe oferecerá descanso para o dia seguinte do nosso passeio.

Dia 8: Ouarzazate – Ait Ben Haddou – Alto Atlas – Essaouira

O oitavo dia deste circuito começa com o pequeno-almoço no hotel em Ouarzazate e depois vamos mudar-nos para o ksar de Ait Ben Haddou, localizado a apenas 25 km da cidade. Sua visita é mais do que justificada, pois é um dos melhores exemplos da arquitetura defensiva tradicional da civilização berbere, sendo uma parada chave na rota das caravanas entre Marrakech e Timbuktu. Percorrendo o seu interior e contemplando-o a partir do exterior, compreenderemos porque foi eleito Património Mundial pela Unesco … e porque serve de cenário em sucessos de bilheteira como o Jogo dos Tronos.

Após esta visita, regressaremos ao nosso veículo para nos dirigirmos para as montanhas do Alto Atlas, que atravessaremos mais tarde. Mas antes de chegar ao topo do passe, vamos parar em outro kasbah de interesse: Telouet. Esta fortaleza está intimamente relacionada com a de Taourirt, em Ouarzazate: embora também tenha sofrido a devastação do tempo, podemos ver um estilo arquitectónico semelhante dentro e fora, pois foi também a residência e reduto do Pasha de Marrakech, Thami El Glaoui.

Pouco depois chegaremos ao Passo Tizi n’Tichka, a uma altitude de mais de 2.200 metros, uma posição imbatível para contemplar os arredores: os picos mais altos da elevação do Alto Atlas impondo-se no horizonte e nas encostas destas montanhas encontram-se pequenas aldeias berberes onde o tempo parece ter parado. Isto é o que veremos durante a nossa descida, que será uma viagem por um ambiente de grande beleza paisagística.

Esta descida nos leva diretamente a Marrakech, mas não vamos parar lá… por enquanto, porque este circuito de Marrocos termina aqui, vários dias depois. Assim, tomaremos a estrada que liga esta cidade a Essaouira, popularmente conhecida como “a Pérola do Atlântico”. Chegaremos lá no início da tarde, com tempo suficiente para dar um primeiro passeio por esta bela cidade, banhada pelas águas do oceano. À noite, você vai ficar em uma charmosa casa de banho, localizada no coração da medina.

Dia 9: Essaouira

Depois do café da manhã em sua casa, você terá um dia livre em Essaouira. É um dos poucos que tem essa honra neste circuito que cobre todo o Marrocos, pois oferece razões mais do que suficientes para isso. De facto, o seu centro histórico foi declarado Património Mundial pela Unesco e é aqui que se encontram as principais atracções monumentais desta cidade costeira, que no passado era uma colónia portuguesa, sob o nome de Mogador. Isto será fácil de entender em lugares como a imponente fortaleza de La Scala e os portões da velha muralha. É um ambiente que evoca a importância estratégica deste enclave, que também já acolheu as filmagens de muitas cenas da série Game of Thrones. E seu porto de pesca mantém seu encanto, assim como outros espaços e cantos da medina, como a Torre do Relógio.

Mas você também pode dedicar parte do dia às atividades, já que a cidade tem espaço e profissionais para isso. Muitos deles têm lugar na costa. Por exemplo, Essaouira é um bom lugar para kitesurf e windsurf, pois é uma linha costeira com muito vento. Outra opção é montar a cavalo ou camelo na praia arenosa, uma experiência sempre mágica graças à nobreza destes animais e à beleza da paisagem que envolve a experiência. E se o que você quer é simplesmente um banho refrescante na temporada de verão, esta será a melhor ocasião que você terá neste circuito.

O nosso pessoal poderá ajudá-lo ou aconselhá-lo sobre o que fazer e como reservar qualquer actividade em Essaouira. E à noite, você vai repetir a sua estadia no riad, na medina.

Dia 10: Essaouira – Marrakech

Neste décimo dia viajaremos para a cidade onde este passeio termina: Marraquexe. Antes disso, você tomará o café da manhã no riad em Essaouira e então nosso motorista irá buscá-lo para viajar por estrada até a Cidade Vermelha, chegando no meio da manhã.

Assim, terá quase todo o dia livre para descobrir ao seu próprio ritmo os lugares que considera mais importantes em Marrakech, tendo em conta que no dia seguinte terá também um dia inteiro para conhecer a principal cidade turística de Marrocos na sua totalidade, nesse caso através de uma visita guiada durante a manhã. Portanto, você pode planejar o dia de acordo com suas preferências, por exemplo para descobrir monumentos interessantes como o Palácio El Badi, passear por lugares encantadores como os Jardins Majorelle ou conseguir ingressos para museus de prestígio como o Museu de Marrakech ou o Museu Yves Saint Laurent.
Claro que também pode aproveitar este dia para fazer compras, tendo em conta que já não vamos viajar para outras cidades e, portanto, não terá de carregar mais com as compras. Neste sentido, você pode visitar os souks mais tradicionais da medina ou visitar outros bairros com lojas mais modernas, como o Gueliz. Seja qual for a opção escolhida, você desfrutará de uma noite de descanso refrescante em um ambiente no centro histórico.

Dia 11: Marraquexe

Neste passeio, Marrakech é o epílogo perfeito para quase duas semanas de viagem. Portanto, vamos dedicar toda a manhã a descobrir os seus encantos através de uma visita guiada. O nosso guia oficial estará à sua espera para começar assim que tiver terminado o pequeno-almoço, que será servido no riad.

O passeio que o nosso guia terá preparado irá concentrar-se nos sítios históricos que contribuíram para declarar esta cidade Património Mundial pela Unesco. Em particular, dentro da medina, onde se encontra a famosa Mesquita de Kutubia, a Ben Youssef Medersa, o Palácio da Bahia ou os Túmulos Saadianos. São lugares onde se expõe toda a beleza da arte islâmica, com uma decoração deslumbrante de azulejos, mármore, madeira de cedro e outros materiais ricos. Haverá também tempo para descobrir os souks do centro e também a praça mais popular da cidade: a Praça Jemaa el-Fna, que foi declarada Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

A tarde deste dia será novamente livre, portanto você terá a oportunidade de fazer algo diferente do dia anterior. Ou você pode simplesmente descansar, especialmente se for um hammam no estilo tradicional ou com um caráter mais moderno, a fim de repor sua energia após os muitos quilômetros deste circuito. E no final do dia, você voltará para ficar no riad da medina, no que será a última noite da rota.

Dia 12: Marraquexe – Aeroporto

Depois de ter conhecido o Marrocos ao máximo, é hora de dizer adeus. Este último dia começará com o café da manhã no riad e prevê o traslado para o aeroporto de Marrakech. O nosso motorista irá buscá-lo na hora combinada e levá-lo-á num veículo privado para chegar a tempo ao terminal. Lá nos despediremos, agradecidos pela confiança depositada em nós e esperando que nos escolham novamente para outra experiência turística em Marrocos.

PACOTE COM TUDO INCLUÍDO

  •   Recolher e deixar no aeroporto
  •    Confortável transporte privado com ar condicionado
  •    motorista / guia turístico de língua portuguesa
  •    Sandboarding no deserto
  •    Passeio de camelo

EXCLUSÕES DE PACOTES TURÍSTICOS

  •    Bilhetes de avião
  •    Bebidas
  •    Almoços
  •    Bilhetes
EnglishSpainBrazil